31 de dezembro de 2010

My Life in Words #55

Sexta-feira, 31 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Este é o último dia de 2010.
Finalmente vai acabar, não vou mais escrever 2010 nesta vida...
No geral, (assim mesmo muito geral) o ano foi bom.
Tenho boas memórias, como por exemplo, a minha sobrinha começou a andar, passei o meu primeiro Natal com ela, conheci um professor que me incentivou a escrever muito, entre outras coisas MUITO importantes e outras tantas que já não me lembro.. 

Como já disse, recordar é viver.

Boas entradas !
Venha 2011 !

My Life in Words #54

Quinta-feira, 30 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Ando a ler um livro que me dá muito sono. Sinceramente não gosto nada dele, mas tem tenho de o ler para a escola...
Os Capitães da Areia... Para além do livro estar em brasileiro (atenção que não tenho nada contra, simplesmente existem palavras que têm de ser pronunciadas com um sotaque que eu não tenho e isso desconcentra-me), a história não puxa nada. Nem mesmo as partes "picantes" como disse a outra stora...
Oh mas que remédio tenho eu senão lê-lo ?

My Life in Words #53

Quarta-feira, 29 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Hoje o dia foi MUITO aborrecido, porque não me apeteceu fazer absolutamente nada!
Oh espera, eu vi um filme...
Sim, vi o "The Source's Apprentice". É muito bom! Mas continuo aborrecida...


My Life in Words #52

Terça-feira, 28 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Hoje o meu pai tirou o dia para estar comigo.
Supostamente, íamos numa viagem sem destino, mas apeteceu-me ir visitar família que já não via há algum tempo.
O destino mudou para Vouzela.
De todas as vezes que lá fomos, mesmo que fosse previsto um dia de mau tempo, não me lembro de ter apanhado chuva.
Enfim, Vouzela é uma pequena vila do distrito de Viseu, gosto muito de lá ir, porque é tudo muito calmo e sabe bem deixar a confusão da cidade e "fugir" por vezes e também, porque lá a maior parte das pessoas são da minha família. Pessoas que eu nem sequer conheço...
Sempre que lá vou conheço alguém novo da minha família.
Desta vez tivemos a sorte de encontrar parentes que moram na Alemanha e que só vêm a casa pela altura do Natal.
Acho que eles têm a maior casa que alguma vez vi na vida..
Eles ficam espantados por eu gostar tanto de lá ir.. Vá, até ganhei 5 Eurinhos e um chocolate!

My Life in Words #51

Segunda-feira, 27 de Dezembro de 2010

Querido diário,

O Natal passou, já chega de falar do Natal.
Segue-se a passagem de ano.
Ah, um novo ano! Finalmente!
Uma mudança sabe muito bem... Já estou farta de escrever "2010" em todas as datas.

Ora bem, resoluções para o novo ano.
A minha mãe já fez algumas para mim:
- Estudar muito
- Usar menos o aquecedor
- Usar menos o computador
- Arrumar mais vezes
- etc.


Eu cá ainda não fiz nenhumas!
Sim, é um ano novo, mas não quer dizer que vá mudar a minha vidinha!

Se bem que preciso de cortar o cabelo...

Tentações - Parte V

Lara não teve forças para ir trabalhar nesse dia.
Não queria confrontar Rodrigo com o que se tinha passado. Sabia que ele era a razão do fim da sua relação com Diogo, mas não o culpava por nada.
Devia ter-se afastado. Mas não conseguiu.
Tinha a certeza que nunca mais iria ter notícias de Diogo, coisa que a desfazia por dentro.
Só depois de o ter perdido realmente lhe deu valor.
Sentia a sua falta, mais que nunca, mas sabia perfeitamente que merecia a dor que tinha naquele momento.
Nada que um novo começo não curasse.

27 de dezembro de 2010

Tentações - Parte IV

Diogo não aguentava mais a distância que o separava de Lara. Queria vê-la, tê-la nos seus braços.
Teve problemas no trabalho e acabou por se despedir.
Como morava numa pequena cidade, as oportunidades não eram muitas, por isso decidiu ir morar para perto de Lara. Numa grande cidade, com um óptimo nível de vida. O lugar perfeito para recomeçar a sua vida, com um novo emprego, junto da mulher que ama.
Diogo tinha chegado nessa noite e dirigiu-se sem demoras a casa de Lara. Ninguém estava lá.
Ele tinha uma cópia da chave, mas não queria entrar sem mais nem menos, não achava correcto, então mandou uma mensagem a Lara, pois queria saber se não havia problema em ele entrar.
Como não teve resposta da parte de Lara, o que achou estranho, visto que ela não dispensava o telemóvel fosse em que situação fosse, entrou.
Não sabia muito bem o que fazer, por isso recostou-se no sofá, esperando que Lara não se demorasse.
Mas as horas foram passando e nem sinal dela.
Começou a ficar um pouco preocupado, mas não queria estragar nada, para o caso de Lara chegar.
Quando a fome começou a apertar, Diogo dirigiu-se há cozinha e deu de caras com bilhetes que Lara havia afixado no frigorífico para que não se esquecesse.
Eram encontros, bastante frequentes e sempre com a mesma pessoa: Rodrigo.
Começou a ficar desesperado, pensando que tudo o que fez foi em vão, que a mulher que achava ser a mulher da sua vida o andava a trair.
Sem saber como agir, sentou-se nas escadas que o levavam ao andar de cima, esperou e esperou, deixando que a ira se apoderasse dele até que, Lara chegou.
Quando esta deu de caras com Diogo, que segurava todos os bilhetes que encontrou no frigorífico, só desejou desaparecer, temendo o pior.
Diogo não esperou por uma reacção e confrontou Lara:
- Então? Não me respondes? - perguntava ele - Sei que foste ter com ele esta noite! Por raio foste nesses preparos?!
- Eu posso explicar... Não é o que estás a pensar, não aconteceu nada!- respondia Lara desesperada.
- Não? Não é o que a tua boca diz! Olha-me para essas figuras! Não passas de uma rameira... Não prestas!
Diogo preparava-se para sair quando Lara correu para ele e o agarrou, com as lágrimas a escorrerem-lhe pela face:
- Por favor, não vás! Eu posso explicar... Por favor!
Ele não aguentava mais estar ali, ouvir a voz da mulher que o despedaçou e num acto de desespero empurrou Lara para o lado e saiu.
Lara chorava, deitada no chão, e assim ficou até de manhã, sem dormir, sem comer, sem pensar em nada apenas no mal que tinha feito.



[Continua]

My Life in Words #50

Domingo, 26 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Matar saudades, repetir palavras, recordar momentos, são três das coisas que foram feitas hoje.
Coisas essas, que nunca vão acabar.


Começa agora a contagem decrescente para a passagem de ano, daqui a 5 dias, estaremos todos juntos, mais uma vez, ansiosamente à espera da meia-noite.
À espera do novo ano, de 2011, um ano, espero eu, de mudanças.

Passaram 50 dias desde que comecei com este projecto.
Estou contente por ter conseguido levar o My Life in Words tão longe.
Não creio que vá parar tão cedo, até porque me faz bem "desabafar", falar das coisas que acontecem no meu dia-a-dia, mesmo que quem lê, não saiba própriamente daquilo que eu estou a falar, o que interessa é que eu sei.

My Life in Words #49

Sábado, 25 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Dinheiro, roupa, telemóveis, livros, anéis, são tudo boas prendas, mas nada que se compare ao amor que alguém nos pode dar.
Enquanto passámos o Natal em família, no quentinho, a comer os doces da mãe ou da avó, há gente, lá fora, sem ninguém, ao frio, a passar fome.
As coisas não deviam de ser assim...




Feliz Natal a todos !

My Life in Words #48

Sexta-feira, 24 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Já é tarde, já todos se foram embora.
Foi um Natal tão divertido!
Agora que a minha sobrinha já é mais crescidinha (apesar de ainda ser uma bebé) e já dá valor a brinquedos, toda a gente a mimou com isso. Foi impressionante a quantidade de presentes que encheram a casa quando ela chegou!
Foi tão bonito vê-la a brincar com as prendas que recebeu.
São mesmo as pequenas coisas que fazem o Natal...

23 de dezembro de 2010

My Life in Words #47

Quinta-feira, 23 de Dezembro de 2010

Querido diário,


Amanhã é Natal.
Este ano, não sei porquê, não o sinto lá muito...
Simplesmente, não se sente, tanto que até pensava que ainda faltavam uns dias para o dia 24...
Talvez amanhã isso mude.
A família vem cá consoar.
Talvez a minha sobrinha traga o espírito...
Espero que sim.

My Life in Words #46

Quarta-feira, 22 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Acho que hoje foi um dos pontos mais altos destas férias.
Passar tempo de qualidade com pessoas de quem eu realmente gosto, confio e que conseguem ser elas próprias diante de mim, é algo que realmente adoro.
A Vânia e a Juliana são, definitivamente, pessoas assim.
Maioritáriamente, pelo nível de maturidade.
Durante o almoço, as conversas foram muito boas, rimos muito! Era impossível não o fazer...
Depois fomos ao cinema.
Foi, sem dúvida, um dia bem passado e espero vir a ter muitos dias assim com elas, porque isto é bom para nós.

P.S.: Encontramos duas das nossas professoras enquanto passeávamos. É tão estranho ver como elas são diferentes...
Estámos habituadas a vê-las mais rígidas, por assim dizer, na escola. Mas tivemos a oportunidade de meter a conversa em dia com uma delas. Foi um dia bom.

22 de dezembro de 2010

Movie Review -- As Crónicas de Nárnia - A Viagem do Caminheiro da Alvorada

Filme


As Crónicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada (The Chronicles of Narnia: The Voyage of the Dawn Treader) é o terceiro filme da série As Crónicas de Nárnia produzido pela Walden Media e pela 20th Century Fox, baseado no livro “A Viagem do Peregrino da Alvorada”, escrito em 1952 pelo escritor irlandês C.S. Lewis. Pertence aos géneros aventura e fantasia. A 20th Century Fox anunciou em 23 de Março de 2010 que o filme seria convertido em 3-D.
Dirigido por Michael Apted, começa a ser filmado desde Abril até Setembro de 2009, em Queensland, Austrália, com estreia marcada para o dia 10 de Dezembro de 2010.




Sinopse

Edmund, Lucy e o seu primo Eustace são puxados para dentro de uma pintura mágica que os leva de volta a Nárnia de encontro a uma grande aventura. Assim que chegam voltam a encontrar-se com o agora Rei Caspian, a bordo do poderoso navio real “Caminheiro da Alvorada”, onde rapidamente descobrem que o seu regresso se deu numa altura perigosa. Uma neblina maléfica ameaça tomar a posse da terra mágica e é agora sua missão proteger Nárnia da ameaça a qualquer custo. Com a ajuda de Caspian, Reepicheep e o resto da corajosa tripulação, Lucy, Edmund e Eustace dirigem-se às ilhas de Este, combatendo comerciantes de escravos, tempestades violentas, serpentes marítimas e muitos outros novos perigos. Apesar destes obstáculos, mantêm a rota na esperança de vencer a terrível neblina antes que Nárnia se perca para sempre.


-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Para dizer a verdade, nunca tinha visto nenhum dos filmes das Crónicas de Nárnia, este foi o primeiro.
É, de facto, um bom filme que tem como principal objectivo fazer-nos viver uma certa magia dos mundos imaginários.
É um mundo de animais falantes, Minotauros, dragões e faunos, misturado com humanos, tudo numa escala muito real.
Este filme não tem uma moralidade muito diferente de outros tantos, que é com determinação e coragem que se ultrapassa os nossos medos, simplesmente neste caso, o facto de ultrapassar, ou não, esses medos, condiciona a “vitalidade” dos intervenientes da história.
Não recomendo este filme a pessoas que não têm um mínimo de imaginação, pois dificilmente iriam perceber a mensagem do filme, visto que esta é passada por seres irreais.

21 de dezembro de 2010

Relembrar é viver...

Como expliquei na última página do diário, eu e a minha mãe encontramos um poema feito por mim no 3º ano.Na altura, a professora leu-nos, ou deu-nos um texto e, depois da sua leitura e interpretação, tínhamos duas hipóteses: ou davamos outro final ao conto, ou recontávamos a cena em verso.
Eu escolhi a segunda opção, e este foi o resultado:



A Velha e o Garrafão 

Era uma vez uma velha
avarenta, pois então
que lavava mal a roupa
só para não gastar sabão.

Fechava sempre as janelas
para o sol não entrar,
pois os seus raios de sol
podiam a pintura estragar.

Tinha o dinheiro escondido
dentro de um garrafão,
pensava ela que assim
não caía em tentação.

Um dia pela tardinha
ia a velha a passar
pelo corredor da casa
e pôs-se logo a gritar.

Um susto ela apanhou
quando viu passar um rato
e logo se decidiu
a ir arranjar um gato.

Mas para alimentar o gato
dinheiro teria de gastar
e avarenta como era
nem um cêntimo iria dar.

Desistiu da ideia a velha
de um gato poder comprar
e os dias foram passando
e os ratos sempre a aumentar.

E certa manhã a velha,
pôs-se a gritar assustada
com as duas mãos na cabeça
dizendo que foi roubada.

Mas não era roubo algum
apenas os roedores
roeram todo o dinheiro
e não deixaram nenhum.




Tenho tantas saudades das composições que se faziam na altura..

My Life in Words #45

Terça-feira, 21 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Hoje acordei de manhã para ir fazer análises ao sangue.. coisa que já não fazia há milénios!
Tenho a sensação de que 2011 vai ser muito diferente deste ano, e estou muito motivada para isso.


A minha mãe hoje esteve a remexer numas coisas antigas... Uma caixa onde ela guardava postais, coisas que eu fiz na escola, maioritariamente, primária e até mesmo coisas do tempo da minha irmã, juntamente com fotografias.
No meio de tudo isto, encontramos o antigo jornal da minha escola "O Papagaio", que a minha mãe guardou apenas porque a minha prima´, que tinha sido psicóloga lá, aparecia numa parte dele.
Encontramos também um texto que eu fiz no 3º ano. Um poema.
Bem... Que saudades que me trouxe! A caligrafia antiga, a assinatura antiga... Tudo!
É bom reviver coisas de vez em quando.

20 de dezembro de 2010

My Life in Words #44

Segunda-feira, 20 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Sabe tão bem estar em plena Segunda-feira e de férias!
Não aquela preocupação de acordar a horas certas para tratar disto ou daquilo...
É muito bom!

Diz o ditado: "Ano novo, vida nova."
Para dizer a verdade, eu nem sei se isto é um ditado, mas vamos partir do princípio que é.
Mas será que só devemos mudar a nossa vida, os nossos hábitos no ano novo?
Eu cá vou começar antes, para me habituar...
E sim, este vai ser o ano em que finalmente vou seguir o ditado, porque tudo vai mudar.
Para melhor.

My Life in Words #43

Domingo, 19 de Dezembro de 2010

Querido diário,

O Natal aproxima-se cada vez mais e de que é que eu me apercebo?
Ainda me faltam presentes!!
Que desespero comprar coisas assim à última da hora! (Típico de mim...)
Ai, tenho que me despachar, senão, bem só recebem postais!

18 de dezembro de 2010

My Life in Words #42

Sábado, 18 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Felizmente estou melhor hoje. Era mau se não estivesse, porque hoje é dia de festa!
O meu avô faz 76 anos.
Muitos parabéns, espero que te aguentes por muitos mais anos!

76 anos... Tanta história para contar... É único, mesmo.

My Life in Words #41

Sexta-feira, 17 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Fim! Acabou finalmente!
Estou de férias, mas a começar mal...
Esta gripe está a dar comigo em doida, tenho a cabeça a latejar e mal me consigo mexer... mas mesmo assim tinha que vir aqui.

Espero que isto melhore! Tenho que aproveitar bem estas férias.. urgentemente.

17 de dezembro de 2010

My Life in Words #40

Quinta-feira, 16 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Amanhã é o último dia de aulas. Ai! Como sabe bem dizer isto...
Preciso de férias! De não fazer nada! De dormir até tarde!
Urgentemente!
Acordar às 7h é dose...

Passar tempo em famíla de vez em quando é muito bom.
Pomos a conversa em dia, rimos, jogamos, convivemos. É importante, de facto.

My Life in Words #39

Quarta-feira, 15 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Já há três semanas que não almoçava com as minhas amigas. Já tinha bastantes saudades disso.
É muito bom ter conversas fora da escola, em ambientes mais descontraídos.
Parece que não, mas é muito diferente.
Gosto muito das Quartas-feiras, precisamente por causa destes almoços.
Fazem-nos bem.

14 de dezembro de 2010

My Life in Words #38

Terça-feira, 14 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Faltam apenas 3 dias para o fim das aulas. E faltam 10 dias para a véspera de Natal.
Mal posso esperar!
Estou mesmo a precisar de férias, de descansar.
De não ter que pensar em nada a não ser eu mesma e o meu bem-estar.
Hoje não aconteceu nada de especial..
Apenas escrevi a parte 3 do texto Tentações..
E acho que foi só isso.
Uma seca, é verdade.

Tentações - Parte III

Lara não respondeu nem pestanejou. Agarrou a mão de Rodrigo e seguiu-o até ao centro da sala.

Rodrigo era como que um mestre na arte de seduzir, por isso, escolheu a música mais sensual que tinha para dançar com Lara.
A música começou a tocar.
Lenta e suavemente, foi aproximando e envolvendo os dois.
Rodrigo acercava o pescoço de Lara. Estava deslumbrado com o perfume dela que cada vez mais o puxava para mais perto. Queria muito roubar-lhe um beijo, mas não tão depressa.
Decidiu então provocar e, assim, começou a beijar-lhe o ombro muito suavemente. Sentiu logo Lara a estremecer, coisa que lhe dava algum gozo, por isso continuou.
A sua atenção estava agora no pescoço de Lara, que beijava ligeiramente, ao mesmo tempo que a agarrava com mais firmeza, como se não a quisesse deixar escapar.
Lara queria parar, mas a sua vontade era muito mais forte. Afastou ligeiramente Rodrigo e olhou-o nos olhos azuis que a prenderam de novo. Impedidos de controlar os seus corpos, Lara e Rodrigo perderam-se nos braços um do outro.
Estavam completamente dominados pela paixão, pelos beijos selvagens, pelos toques e abraços, até que, de repente, Lara caiu em si.
Afastou-se rapidamente de Rodrigo, ofegante e pálida e disse:
- Mas que raio é que nós fizemos Rodrigo?!
Rodrigo preparava-se para responder quando Lara saiu a correr. Ele sabia que não tinha sido um erro, que não tinha sido por acaso e que ambos o queriam fazer, por isso, não foi atrás dela.
Lara apressou-se a sair dali. Correu para o carro e dirigiu-se a casa o mais depressa que pôde.
Sentia-se suja naquele momento, uma traidora. Tremia cada vez que pensava que Diogo pudesse vir a descobrir. Só queria chegar a casa, tomar um banho e ir dormir. Dormir para esquecer.
Estacionou à pressa, passando mesmo por cima do passeio, correu para a porta e entrou.
Não reparou nas luzes que estavam acesas e mal acabava de fechar a porta e se preparava para subir, ouviu algo que lhe fez gelar o sangue:
- Quando planeavas falar-me desse tal… Rodrigo? E porque raio é que estás assim vestida?
Era Diogo.

[Continua]

13 de dezembro de 2010

My Life in Words #37

Segunda-feira, 13 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Estava com medo do teste de Matemática, mas afinal correu bem. A stora facilitou um bocado...
As notas para este Período estão muito boas!

Uma coisa que detestei hoje foi o facto de um dos melhores alunos ter tirado Bom num teste onde contava com mais e ter ficado triste e desiludido, e os outros gozarem com ele pela sua reacção.
Sinceramente, eu não o censuro. Se estivesse na mesma situação que ele também teria ficado chateada, porque eu, como ele, tenho aspirações, quero sempre mais e não me contento com o que é suficiente para eu progredir.
Ainda há muita gente que não é humilde o suficiente para se conseguir colocar na pele dos outros e entender...

12 de dezembro de 2010

Frase do Dia

"Só entendi o valor do silêncio no dia em que me resolvi calar para não magoar alguém"

My Life in Words #36

Domingo, 12 de Dezembro de 2010


Querido diário,

É a voar que passa mais um fim-de-semana...
Já não me importo.
Esta vai ser a última semana de aulas, porém amanhã ainda tenho teste...de Matemática...
Que felicidade! Ou talvez não...

My Life in Words #35

Sábado, 11 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Começa-se a fazer a contagem dos dias que faltam para as aulas acabarem...
É só mais uma semana e entro, finalmente, de férias!
Já tenho saudades de estar em casa sentada no sofá, enrolada num cobertor, a ver televisão sem ter que me preocupar, seja com o que for...


10 de dezembro de 2010

My Life in Words #34

Sexta-feira, 10 de Dezembro de 2010

Querido diário,




Às vezes somos cegos. Mas tão ceguinhos que até dói...
Tomamos cada decisão que quando olhamos para trás até dá para rir.
Lá que é difícil parar para pensar, é. Pelo menos na maior parte dos casos... E por isso é que dá sempre tudo para o torto, vamos por caminhos que não queremos.
Podemos é ter a sorte de voltar para trás a tempo e sair daquilo que nos podrá levar à total ruína.
Uma ruína que é a tristeza, a rotina, monotonia, infelicidade.

My Life in Words #33

Quinta-feira, 9 de Dezembro de 2010

Querido diário,



Elas existem em tudo o quanto é sítio, em tudo o quanto é gente, em tudo o que mexe. E é tudo por hoje.

9 de dezembro de 2010

My Life in Words #32

Quarta-feira, 8 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Nenhuma dor é superior àquela que é causada pela perda de alguém que amamos.
Seja um pai, uma mãe, um irmão, um amigo, um amor... A dor é intensa, como se pedaços de nós fosses arrancados.
Sabemos que a vida nunca será a mesma, mas que, mesmo assim, continua.
Continua sempre. 

8 de dezembro de 2010

Tentações - Parte II

Havia chegado o dia do jantar.
Lara sabia que era um jantar informal, em casa de um amigo, mas não quis fazer má figura diante do homem que era também seu patrão, por isso, retirou o seu melhor vestido do fundo do armário, apanhou os seus caracóis escuros, deixando os seus ombros descobertos e deu uma cor vermelha aos seus lábios.
Eram 19h em ponto quando a campainha de Rodrigo tocou. Pontualidade era o forte de Lara.
Rodrigo apressou-se a abrir a porta, estava entusiasmado com este jantar. Recebeu Lara com um sorriso brilhante e convidou-a a entrar.
Lara não se surpreendeu com a luxúria que a rodeava naquele momento, sabia o quão bem ganhava Rodrigo.
As primeiras coisas em que reparou foram a mesa, toda bem posta e decorada, a sala apenas iluminada com velas e a música ambiente, suave e relaxante.
De repente sentiu o seu casaco deslizar pelos braços lentamente. Rodrigo mostrava a sua cortesia.
Lara sentiu um arrepio apoderar-se dela e mostrou-se um bocado atrapalhada com a situação. Rodrigo riu e levou-a até à mesa. Afastou a cadeira de Lara, para esta se sentar e serviu o jantar.
Rodrigo observava Lara atentamente, como se esta fosse uma peça de arte. Lara sentia-se um pouco embaraçada, pensava que tinha algo de errado com a sua imagem e tentou meter conversa:
- Este jantar está delicioso... - disse.
- Também não lhe ficas muito atrás. - respondeu Rodrigo - Não consigo tirar os olhos de ti. Esmeraste-te com esse visual novo...
Lara não conseguiu evitar um sorriso. Já tinha notado que Rodrigo era mulherengo, mas estava a gostar da situação, achava que tinha tudo sobre controlo.
- Também costumas ser assim com as outras lá do escritório? - perguntou Lara num tom de gozo.
- Um bocadinho menos directo, elas gostam assim...
A conversa prolongou-se, num misto de humor e provocações, até duas garrafas de vinho tinto se esvaziarem completamente.
E de repente, Lara recebe uma mensagem.
Era Diogo a dizer-lhe que precisava de falar com ela, com urgência.
Naquele momento Lara estava a divertir-se e não estava com paciência para mais problemas, por isso desligou o telemóvel, mas notava-se um pouco de desânimo na sua expressão.
Rodrigo levantou-se e aproximou-se de Lara. Quis reconfortá-la e começou a fazer-lhe uma massagem nos ombros:
- Pareces tão tensa...
Lara estremeceu.
Achava que aquilo não devia estar a acontecer, mas não tinha vontade nenhuma de parar.
Ainda pensava que poderia sempre pedir para ir embora se as coisas perdessem o controlo.
Fechou os olhos e deixou-se levar...
Rodrigo estava cada vez mais interessado em Lara. Não sabia se era o facto de ela ser tão atraente e segura de si, ou se era o facto de ela ter namorado que lhe dava tanta vontade de a ter.
Agora que a tinha ali, não ia desperdiçar as suas oportunidades...
Aproveitou o facto de a estar a massajar e, propositadamente, afastou as alças do vestido. Os ombros reluzentes de Lara deixaram-no completamente preso, mas sabia que não queria ir tão depressa.
Aproximou-se de Lara.
Esta sentia a respiração de Rodrigo no seu pescoço e ouviu-o sussurrar:
- Vem dançar comigo...




[continua]

My Life in Words #31

Terça-feira, 7 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Este projecto My Life in Words faz hoje um mês. Para mim é uma novidade pois, como já tinha referido antes, nunca escrevi um diário por mais que uma ou duas semanas. Mas vou tentar continuar com este, o máximo de tempo que puder...




Hoje percebi o poder de algo inesperado mas previsível... Por muito que saibamos que há-de acontecer, há sempre aquela expectativa, aquela hesitação..
Mas a adrenalina que se sente compensa tudo...
Há quem faça de tudo para se sentir vivo de novo.

6 de dezembro de 2010

My Life in Words #30

Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Acho que este é o maior e mais actualizado diário que alguma vez tive. Amanhã este projecto faz um mês e por isso vou revelar mais uma parte do texto Tentações.
Algumas das pessoas que costumam ler as minhas páginas do diário, frequentemente deduzem que os temas de que eu aqui falo me acontecem mesmo. Há vezes em que falo mesmo do que me aconteceu e isso é visível, apesar de ter a maior descrição possível, mas a maior parte das vezes o que eu escrevo tem a ver com coisas que vejo e que, por acaso, coincídem com o que me acontece. Era uma coisa que queria esclarecer.
Um diário não tem necessáriamente de retratar de uma forma perfeita o que nos acontece ou deixa de acontecer. O que nos rodeia é igualmente importante.

5 de dezembro de 2010

My Life in Words #29

Domingo, 5 de Novembro de 2010

Querido diário,


Toda a gente tem problemas, no entanto parece que algumas pessoas nunca estão mal, que têm uma vida descontraída... Sabes porquê ?

Porque essas pessoas não se deixam ir abaixo. Enfrentam problemas de cabeça erguida.
Ter problemas na vida é inevitável, agora ser derrotado por eles é opcional.
E essas pessoas escolhem lutar...

4 de dezembro de 2010

My Life in Words #28

Sábado, 4 de Dezembro de 2010
Querido diário,



O dia hoje começou mal.
Tive de acordar cedo... Para ir às compras no Porto! Com este frio!
Impensável...
Estive a dormir a maior parte da tarde.. Agora vou estudar.
A vida é tão bonita quando tudo está bem!

Tentações - Parte I

Lara e Diogo, um casal quase perfeito, que apenas transparecia amor, atravessavam um período difícil.

A distância que os separava era enorme e, devido à sua carreira, Lara era muito ocupada, não tinha tempo para si, muito menos para conseguir estar com Diogo.
À medida que o tempo ia passando, as saudades iam aumentando e com elas vinha tristeza. Os comportamentos dos dois iam mudando, as discussões eram cada vez mais frequentes e Lara sentia-se fragilizada.
Um dia, Lara conseguiu escapar-se do emprego por umas horas e refugiou-se um pouco no bar que costumava frequentar.
À entrada do bar, esbarrou-se com Rodrigo, um colega de trabalho.
Rodrigo era um homem charmoso, alto e moreno. Na empresa não passava despercebido e até Lara tinha reparado nele, não por interesse, mas por curiosidade. Ele era um rapaz novo, e havia subido na vida rapidamente. Em menos de um ano, tornou-se no superior de Lara, que já fazia parte da empresa há dois anos.
Não eram muito chegados, mas aproveitaram aquela situação para se conhecerem melhor.
Pediram as bebidas enquanto falavam. Lara mostrava-se cada vez mais interessada na vida de Rodrigo. Ele tinha captado a sua atenção de um modo que nunca ninguém conseguiu. E de repente o telemóvel de Lara toca. Era Diogo. Ausentou-se por uns momentos e, pela expressão de Lara, eles discutiam.
Quando regressou à mesa, Lara tinha os olhos vermelhos. Certamente tinha estado a chorar e ordenou ao empregado que lhe trouxesse algo forte. Completamente vulnerável, Lara confessou os problemas que tinha com o namorado, não se importando que Rodrigo fosse, de certa forma, um desconhecido. Este mostrou-se preocupado e quis reconfortar Lara. Pegou-lhe nas mãos, afastou os cabelos que lhe cobriam a face pálida e olhou-a nos olhos. Lara reparava no quão azuis e profundos eram os seu olhos. E assim Rodrigo se havia tornado no amigo que Lara tanto precisava.
Começaram a encontrar-se mais frequentemente e em diversos locais. Certo dia, Rodrigo convidou Lara para jantar em sua casa.
Ao princípio Lara hesitou, pensando que Diogo não ia aprovar, mas como considerava Rodrigo um amigo, e nada mais que isso, aceitou.










[continua]

3 de dezembro de 2010

My Life in Words #27

Sexta-feira, 3 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Aos poucos vou percebendo porque é que adolescência é sinónimo de confusão...
Estamos tão habituados a que pensem por nós e de repente temos de tomar decisões difíceis. E são difíceis porque nunca as tomamos antes, porque não sabemos se vamos ter consequências positivas ou negativas, porque não sabemos qual vai ser a reacção das outras pessoas (que, e se, estiverem envolvidas), enfim, torna-se complicado gerir tantas coisas. 
É preciso ter paciência, bom senso e consciência.

2 de dezembro de 2010

My Life in Words #26

Quinta-feira, 2 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Injustiças. Existem por todo o lado.
Por uns terem mais que os outros sendo, no entanto, todos iguais.
Por sermos acusados de coisas que não fazemos.
Por percorrermos todos o mesmo caminho e, no entanto, uns terem ajuda e os outros que se safem...
E a quem é que nos podemos queixar? A quem é que podemos pedir explicações?
A ninguém.
Porquê?
Porque toda a gente sofre dos mesmos males.

My Life in Words #25

Quarta-feira, 1 de Dezembro de 2010

Querido diário,

Hoje é o dia mundial contra a SIDA.
Hoje comemora-se a Restauração da Independência portuguesa.
Mas o dia apenas se torna importante, porque o meu pai faz anos, por isso, quero desejar muitos parabéns ao meu velho Manga. Que muitos mais anos venham! Adoro-te!

Basicamente o meu dia foi: acordar, almoçar, estudar, festa e estudar.
Uma rotina.

30 de novembro de 2010

My Life in Words #24

Terça-feira, 30 de Novembro de 2010

Querido diário,

A visita de estudo à Alfândega do Porto foi única!
O corpo humano como nunca tinha visto... Cada osso, músculo, articulação.. Bebés com semanas.. Cada promenor.. E TUDO real! Corpos doados à ciência.
Espetacular, sem dúvida.


Hoje dei por mim a pensar numa música que havia esquecido à uns bons anos. Ela deixou de passar na televisão e fui esquecendo...
Quando a ouvi de novo, todas as memórias desses tempos voltaram à minha cabeça. O dia não podia ter corrido melhor...


Sim.. Eu sei que a qualidade está péssima (porque é filmado de uma televisão, acho eu) e que a música é francesa.
E depois ? O refrão é de cortar a respiração...

29 de novembro de 2010

My Life in Words #23

Segunda-feira, 29 de Novembro de 2010

Querido diário,

O fim de semana passa sempre a voar!
E hoje tive teste... Espero que tenha subido o raio da nota!

Hoje na aula de português descobri uma coisa sobre mim que até agora desconhecia. Sempre que se fala num assunto com o qual eu me relaciono, seja de que forma for, eu sorrio e aceno, às vezes, ligeiramente com a cabeça.
Que estranho!

Hoje foi o dia dos "Foras" para mim...
Fico um bocado perdida quando isso acontece, porque as pessoas dizem, por exemplo:

- Olha! Vou ter contigo a não-sei-onde!
- Olha! Preciso que venhas fazer isto por mim, eu já te ensino!

E de repente desaparecem...´
Torna-se desesperante! 

28 de novembro de 2010

My Life in Words #22

Domingo, 28 de Novembro de 2010

Querido diário,

Estou muito aborrecida! Não tenho nada de jeito para fazer!
Quer dizer, segundo a minha mãe, não é bem assim... Tenho o quarto para arrumar, tenho de estudar, tenho que isto e mais aquilo...
Mas é aí que a preguiça ataca.
Ai vida!

Hoje percebi que tomar decisões de cabeça quente, por influência de maus sentimentos, como por exemplo, a raiva, o ciúme, a inveja, pode ser muito prejudicial para nós.
Mais vale parar, deixar passar um bom tempo, arrefecer as ideias e conversar, primeiro connosco (monólogo) e depois, se outras pessoas estiverem envolvidas, com os outros.
Os impulsos não são as melhores opções...

27 de novembro de 2010

My Life in Words #21

Sábado, 27 de Novembro de 2010

Querido diário,

Hoje o dia passou depressa demais.
Tanta coisa para fazer e acabei por não fazer nada!
Este frio não ajuda em nada...

Ouve-se frequentemente a frase: "As pessoas mudam..."
Tendo em conta a minha experiência como adolescente, essa frase é uma grande mentira...
E é mentira porque por muito que nós o tentemos evitar, a não ser que tenhamos uma boa consciência e força de vontade, os mesmos erros voltam a ser cometidos.
E as pessoas que os cometem, independentemente das vezes que o fazem, acham sempre que têm razão.
Mas o tempo, por muito que passe, faz sempre com que as pessoas se arrependam.
Porém, é tarde demais...

26 de novembro de 2010

Liberdade

A liberdade existe de várias formas, mas para mim, a de expressão é a mais importante, por razões óbvias.



A Liberdade, não só é uma dádiva, mas é também um direito. Todos temos direito a pensar e a ter uma opinião, por mais rudimentar que seja, por mais errada que esteja, é aquilo que temos em mente, é aquilo em que acreditamos.

A liberdade é algo que se reflecte no nosso dia-a-dia, como por exemplo, no facto de podermos ler e ouvir o que quisermos; estar com quem quisermos, independentemente de raça, sexo, formato, simplesmente não interessa; retaliar quando alguma coisa não está bem e, consequentemente, não nos faz sentir bem, é o facto de pessoas como eu poderem criticar o que não está bem na sociedade de hoje em dia ou simplesmente dar uma opinião.


A Liberdade faz de nós, quem somos hoje.






“Penso, logo existo” – René Descartes

My Life in Words #20

Sexta-feira, 26 de Novembro de 2010

Querido diário,

Ai, como sabe bem dormir mais duas horinhas...
E como sabe bem estar no último dia da semana!

Mas e agora ter teste na segunda? Já não sabe assim tão bem...
Estámos a entrar na "recta final" de avaliação do Período, vão ser testes uns atrás dos outros, a começar na próxima semana. Há que estudar muito...
Ser estudante também cansa.

Mas também há que aproveitar... E assim vou-me embora, porque é dia de frango...

My Life in Words #19

Quinta-feira, 25 de Novembro de 2010

Querido diário,

Lá se foi a greve, voltou a escola. E com força! Às 8:15!
Enfim.. Tem de ser...
Mas fiquei satisfeita ao fim do dia.. Boas notas..

Este ano, nota-se que um acentuado número de pessoas da minha idade, e não só, está preso aos seus tempos de infância (Só para mostrar ao professor de Português que sei o que é uma perífrase eufemística).
Mas é verdade.
Hoje em dia, pelo que vejo, não se consegue distinguir algumas pessoas de 9º ano, de outras de 6º e 7º...
Não fisicamente, (porque eu cá nem a 1,60m chego) mas sim psicológicamente.
As atitudes deles são as mesmas que eu tinha quando andava na primária.
Ou isto anda mesmo tudo a regredir, ou eu sou.. anormal, por assim dizer.

24 de novembro de 2010

My Life in Words #18

Quarta-feira, 24 de Novembro de 2010

Querido diário,

Sabe tão bem desfrutar uma greve a meio da semana! Vem mesmo a calhar...
Foi um dia muito bom. Não fiz o que tinha planeado fazer, que era absolutamente nada, fui sair, só porque gosto de fazer as pessoas felizes!
Bem.. Tem dias..
E já tenho visto dias mais bonitos.

As pessoas são tão diferentes umas das outras!
De todos os tamanhos, cores e feitios...
Com culturas diferentes, formas de vestir diferentes, comidas diferentes, formas diferentes de pensar.
E depois há o Racismo.

E há um texto que eu adoro sobre o racismo:
"Um homem branco disse:
- Pessoas de cor não são permitidas aqui!
Um homem negro voltou-se e depois disse:
- Ouça senhor, quando eu nasci, eu nasci preto;
enquanto crescia, eu era preto;
quando estou doente, eu sou preto;
quando estou muito tempo ao sol, sou preto;
quando tenho frio, sou preto;
e quando morrer, serei preto.
Mas você senhor, quando nasceu, nasceu cor-de-rosa;
enquanto crescia, era branco;
quando está doente, fica esverdeado;
quando está muito tempo ao sol, fica vermelho;
quando tem muito frio, fica azul
e quando morrer ficará roxo.
E ainda tem a lata de me chamar pessoa de cor?

O homem negro sentou-se e o branco afastou-se..."

Brilhante, não é?

23 de novembro de 2010

My Life in Words #17

Segunda-feira, 23 de Novembro de 2010

Querido diário,

Hoje é um dia especial, para alguém especial...
O meu querido primo, grande amigo e confidente, Rafael Bastos, faz 19 anos!
Que velho!
Enfim, prometi que o diário era para ele, hoje, e assim o vou fazer.
És uma pessoa muito importante para mim, apesar de te mandar à merda muitas vezes, é verdade. Tens ideias estranhas, és estranho, e eu adoro-te imenso!
Nunca aturei ninguém durante tanto tempo sem me fartar! Mas a verdade é que em meros segundos me fazes rir que nem uma perdida, se é que te lembras de ontem...
O que eu queria mesmo dizer é que és-me muito importante e és-me fundamental, um grande amigo, um primo, um irmão...
Estás comigo desde sempre e para sempre!



Agora alguma propaganda:

- O meu primo é um "BeeTuber". Ele é o maior fã da Beyoncé ( a Bee ) e tem montes de vídeos ÚNICOS dela, por isso visitem-no, digam que vieram da minha parte ->   http://www.youtube.com/user/BeyBoy91

22 de novembro de 2010

My Life in Words #16

Segunda-Feira, 22 de Novembro de 2010

Querido diário,


Como a época natalícia se aproxima cada vez mais, nós começamos a pensar e a fazer coisas típicas, como por exemplo, pensar em prendas, decoração, entre outras coisas... Eu cá penso no circo.
Não, não é mentira, nem é ironia. É a mais pura da verdade. Sempre que se aproxima o Natal eu penso no circo, que é uma coisa que se vê mais nessa altura..
A última vez que me lembro de ter ido ao circo foi à 4 ou 5 anos. Fui com a Rita.. Mas nunca fui com os meus pais...
E como é Natal e aquele espírito de união anda no ar, eu queria ir era com os meus pais. Não sei porquê, mas era com eles que eu queria ir, e nunca fui.
Ainda hoje fico há espera, como se fosse pequenininha...

21 de novembro de 2010

My Life in Words #15

Domingo, 21 de Novembro de 2010

Querido diário,

Fotografias são uma forma de memória, recordação.
Guardam alguns momentos importantes para nós ou apenas coisas que gostamos e que achamos piada.
Hoje eu tirei a fotografia mais fofinha ao meu gato! Ela mostra, não só o quanto ele é preguiçoso, mas também o quanto ele é querido.
Como a minha sobrinha esteve cá, eu decidi tirar umas fotos. O meu gato estava a dormir no sofá e, ao tirar uma foto, ele "acordou" com o flash e ficou nesta pose.
Lindo não é?

My Life in Words #14

Sábado, 20 de Novembro de 2010

Querido diário,

Passar algum tempo com a família mais próxima é muito bom.
Existem tantas coisas para fazer! Hoje jogamos às cartas...
A sorte de principiante da minha mãe dura muito tempo. Tempo demais até! Arrasou-me completamente!
Depois com o meu pai já foi diferente. Como ambos somos "profissionais", foi muito renhido, mas ele lá acabou por ganhar o jogo. Perdi por uma ronda!
Deu para rir...
É importante passar tempo com os pais.

19 de novembro de 2010

My Life in Words #13

    Sexta-feira, 19 de Novembro de 2010

Querido diário,

A frontalidade é algo que eu admiro em algumas pessoas. E já explico o que quero dizer com "algumas".
Antes de mais, a frontalidade é algo que é fundamental, não apenas em relacionamentos, amizades, etc, mas basicamente em todo o lado.
Por exemplo, vamos a um café, não gostamos do café, só temos de reclamar, mandar vir outro; se não gostamos de uma pessoa, não estámos com ela, há mais gente no mundo, venha o outro...
Quem tem vergonha passa mal, é verdade. Mas no entanto, e agora passo a explicar o significado de "algumas", existem, de facto, pessoas que não medem bem aquilo que lhes sai da boca, nem quando lhes sai da boca.
Pessoas não têm noção das alturas apropriadas para dizer o que quer que seja, a quem quer que seja, e essas pessoas não conquistam, por assim dizer, a minha admiração ou aceitação do que é a sua versão de frontalidade, e não deveriam de receber a de ninguém.

18 de novembro de 2010

My Life in Words #12

Quinta-feira, 18 de Novembro de 2010

Querido diário,

A Vânia.
A Vânia é uma pessoa no mínimo espetacular!
É muito boa pessoa, tens os pés bem assentes na terra, é muito adulta quando tem que ser... Mas tem tanta piada!! É verdade, ela faz-me rir tanto!

Hoje o regresso a casa foi do mais cómico de sempre!
Nunca me ri tanto. E ainda começo a rir quando me lembro do riso dela, quando é com vontade, de como ela reage a encontrões de pessoas desconhecidas ou de quando o pai dela a assusta...
É, sem dúvida, uma grande amiga.
Gosto muito dela!

My Life in Words #11

Quarta-feira, 17 de Novembro de 2010

Querido diário,

A Juliana pediu-me para traduzir o meu texto: "Your Guardian Angel".
Eu como sou muito gentil, vou fazê-lo...
Por isso, aqui vai:

"Há coisas que vêm. Outras que vão. E outras que nunca são esquecidas.
As pessoas cometem erros. As pessoas escolhem maus caminhos. As pessoas mentem. As pessoas magoam.
Somos ignorantes.
E depois choramos...
Choramos pelas coisas que fizemos. Choramos pelas coisas que não fizemos. Choramos pelas coisas que deixamos escapar com tanta facilidade.
E de que é que isso nos vale?
Nada.
O tempo não volta atrás. A vida continua. mas memórias permanecem.
Tu permaneces, independentemente de tudo.
E quer gostes quer não, quer te lembres de mim ou não, quer no céu ou no inferno, serei para sempre o teu Anjo da Guarda."

Espero ter feito a Juliana feliz....

16 de novembro de 2010

My Life in Words #10

Terça-feira, 16 de Novembro de 2010

Querido diário,

O trabalho de um estudante é estudar. Estudar, estudar, estudar!
É impressionante a quantidade de coisas que nos cabe, ou deveria caber, na cabeça...
É que ela nunca rebenta!
Enfim, nota-se que não tenho assunto, não é?

Amanhã tenho teste de Geografia.
Este é o único teste que eu não gosto. Não é por a matéria em si, é mais pela quantidade a estudar.
É que só há um teste por período... O que significa que temos de estudar tudo o que demos... O que é um bocado saturante, mas tem de ser.
Não me posso queixar muito. Os de história requerem respostas às vezes de 15 a 20 linhas e são dois testes por período.
Ainda vou dar mais uma vista de olhos na matéria... Ver se está tudo em ordem... Beber o meu cházinho..
Depois vou dormir!
Está um frio que não se aguenta!

15 de novembro de 2010

My Life in Words #9

Segunda-feira, 15 de Novembro de 2010

Querido diário,

Rir:
-o melhor remédio para a solidão;
-uma forma de aproximar pessoas;
-faz-nos sentir vivos;
-rejuvenesce-nos;
-é bom.


Faz-nos felizes!


Quem não ri é monótono, infeliz, de certeza.
Por isso, o meu conselho, riam o mais que puderem!




P.S: Estou mesmo sem ideias hoje! Mas foi um dia muito bom. Ri muito!

14 de novembro de 2010

Crescer muito também cansa

Custa muito passar de “comer e dormir” para “fazer o almoço e arrumar o quarto”. É verdade.

Num momento somos miudinhos sem preocupações, corremos, brincamos, não existe nada dentro de nós a não ser inocência e de repente cai-nos tudo em cima, responsabilidades atrás de responsabilidades, acordar cedo, fazer refeições, estudar, não esquecer isto, ter de fazer aquilo…
É cansativo.
Pessoalmente, tenho saudades de quando era a mãezinha a fazer tudo, mas um dia não vou ter a mãezinha ali. Por isso é que passamos a ter responsabilidades, temos de cuidar de nós.
Por muito que deteste acordar cedo, por muito que deteste arrumar, por muito que não me apeteça ir trabalhar, tenho que o fazer, porque ninguém o vai fazer por mim a não ser que tenha rios de dinheiro.
Mas crescer cansa, de facto, muito.