22 de dezembro de 2010

Movie Review -- As Crónicas de Nárnia - A Viagem do Caminheiro da Alvorada

Filme


As Crónicas de Nárnia: A Viagem do Peregrino da Alvorada (The Chronicles of Narnia: The Voyage of the Dawn Treader) é o terceiro filme da série As Crónicas de Nárnia produzido pela Walden Media e pela 20th Century Fox, baseado no livro “A Viagem do Peregrino da Alvorada”, escrito em 1952 pelo escritor irlandês C.S. Lewis. Pertence aos géneros aventura e fantasia. A 20th Century Fox anunciou em 23 de Março de 2010 que o filme seria convertido em 3-D.
Dirigido por Michael Apted, começa a ser filmado desde Abril até Setembro de 2009, em Queensland, Austrália, com estreia marcada para o dia 10 de Dezembro de 2010.




Sinopse

Edmund, Lucy e o seu primo Eustace são puxados para dentro de uma pintura mágica que os leva de volta a Nárnia de encontro a uma grande aventura. Assim que chegam voltam a encontrar-se com o agora Rei Caspian, a bordo do poderoso navio real “Caminheiro da Alvorada”, onde rapidamente descobrem que o seu regresso se deu numa altura perigosa. Uma neblina maléfica ameaça tomar a posse da terra mágica e é agora sua missão proteger Nárnia da ameaça a qualquer custo. Com a ajuda de Caspian, Reepicheep e o resto da corajosa tripulação, Lucy, Edmund e Eustace dirigem-se às ilhas de Este, combatendo comerciantes de escravos, tempestades violentas, serpentes marítimas e muitos outros novos perigos. Apesar destes obstáculos, mantêm a rota na esperança de vencer a terrível neblina antes que Nárnia se perca para sempre.


-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Para dizer a verdade, nunca tinha visto nenhum dos filmes das Crónicas de Nárnia, este foi o primeiro.
É, de facto, um bom filme que tem como principal objectivo fazer-nos viver uma certa magia dos mundos imaginários.
É um mundo de animais falantes, Minotauros, dragões e faunos, misturado com humanos, tudo numa escala muito real.
Este filme não tem uma moralidade muito diferente de outros tantos, que é com determinação e coragem que se ultrapassa os nossos medos, simplesmente neste caso, o facto de ultrapassar, ou não, esses medos, condiciona a “vitalidade” dos intervenientes da história.
Não recomendo este filme a pessoas que não têm um mínimo de imaginação, pois dificilmente iriam perceber a mensagem do filme, visto que esta é passada por seres irreais.

Sem comentários:

Enviar um comentário