14 de dezembro de 2010

Tentações - Parte III

Lara não respondeu nem pestanejou. Agarrou a mão de Rodrigo e seguiu-o até ao centro da sala.

Rodrigo era como que um mestre na arte de seduzir, por isso, escolheu a música mais sensual que tinha para dançar com Lara.
A música começou a tocar.
Lenta e suavemente, foi aproximando e envolvendo os dois.
Rodrigo acercava o pescoço de Lara. Estava deslumbrado com o perfume dela que cada vez mais o puxava para mais perto. Queria muito roubar-lhe um beijo, mas não tão depressa.
Decidiu então provocar e, assim, começou a beijar-lhe o ombro muito suavemente. Sentiu logo Lara a estremecer, coisa que lhe dava algum gozo, por isso continuou.
A sua atenção estava agora no pescoço de Lara, que beijava ligeiramente, ao mesmo tempo que a agarrava com mais firmeza, como se não a quisesse deixar escapar.
Lara queria parar, mas a sua vontade era muito mais forte. Afastou ligeiramente Rodrigo e olhou-o nos olhos azuis que a prenderam de novo. Impedidos de controlar os seus corpos, Lara e Rodrigo perderam-se nos braços um do outro.
Estavam completamente dominados pela paixão, pelos beijos selvagens, pelos toques e abraços, até que, de repente, Lara caiu em si.
Afastou-se rapidamente de Rodrigo, ofegante e pálida e disse:
- Mas que raio é que nós fizemos Rodrigo?!
Rodrigo preparava-se para responder quando Lara saiu a correr. Ele sabia que não tinha sido um erro, que não tinha sido por acaso e que ambos o queriam fazer, por isso, não foi atrás dela.
Lara apressou-se a sair dali. Correu para o carro e dirigiu-se a casa o mais depressa que pôde.
Sentia-se suja naquele momento, uma traidora. Tremia cada vez que pensava que Diogo pudesse vir a descobrir. Só queria chegar a casa, tomar um banho e ir dormir. Dormir para esquecer.
Estacionou à pressa, passando mesmo por cima do passeio, correu para a porta e entrou.
Não reparou nas luzes que estavam acesas e mal acabava de fechar a porta e se preparava para subir, ouviu algo que lhe fez gelar o sangue:
- Quando planeavas falar-me desse tal… Rodrigo? E porque raio é que estás assim vestida?
Era Diogo.

[Continua]

Sem comentários:

Enviar um comentário