1 de fevereiro de 2011

Pelo Canto do Olho

Todos espreitam de vez em quando. Anseiam algo novo, insólito, algo que possam condenar ou invejar.
É impressionante como todos criticam aquelas velhas coscuvilheiras mas como, no entanto, são iguais a elas. Só estão bem a falar dos outros e ficam bastante satisfeitos com o mal alheio.

A quantidade de pessoas que não se conforma com a vida que tem, hoje em dia, é esmagadora.

Sem comentários:

Enviar um comentário