26 de maio de 2011

Carta à Humanidade


Querida Humanidade,
Venho por este meio comunicar que,
Por vezes, tenho vergonha de fazer parte de ti.
Neste mundo de ladrões, assassinos e putas,
Cornudos, psicopatas, pedófilos e de tudo um pouco,
Onde a bondade é escassa,
A honestidade é mentira
E a boa vontade…bem, não é nada,
Porque ninguém dá nada sem querer algo em troca,
Por muito que nadar contra a maré seja difícil,
Tenho orgulho em afirmar-me como um peixe desses!
Dar-me à rotina?
Seguir tendências?
Ser IGUAL aos outros?
Mas que é isso?!
Para isso fabricavam-nos…
Sabes, Humanidade,
Eu penso que ainda acabas antes do Sol, sim,
Tu estouras contigo mesma todos dias!
És, nada mais, nada menos,
Que suicida!

1 comentário:

  1. Sociedade...
    Tenho um nome mais "certo" para ela...
    Psicosociedade...
    resume tudo bem, penso eu...

    ResponderEliminar