30 de dezembro de 2011

Romance

Apressei-me a sair do comboio. Sabia que ele já lá estava, à minha espera. A multidão, por momentos, nada me deixou ver mas, de repente, lá estava ele, sempre sério, olhando fixamente enquanto me aproximava.
Não esboçou nem um sorriso, devia estar cansado.
A saudade que trazia comigo no peito era enorme, por isso, acelerei o passo e, ao chegar perto dele, beijei-o e abracei-o com tanta força quanto podia.
Ele sorriu.

23 de dezembro de 2011

 A história que um dia eu vou contar vai ter como título "Como a tua insegurança estragou tudo o que eu construí. "

19 de dezembro de 2011

Right in the kisser..

Já vos aconteceu perceberem o quão irritante é uma pessoa que a partir de certo momento, cada gesto que ela faça, cada palavra que ela profira, cada riso, espirro, qualquer coisa que seja mesmo, vos tira do sério?
Isso aconteceu-me há um mês para cá, mais ou menos, e não é muito... agradável lidar com a situação, visto que só me apetece explodir na cara da pessoa em causa. E sei bem que não sou a única.
É estúpido as pessoas mentirem sobre coisas que não têm nada a ver, fingirem serem e terem coisas que não são nem têm, não serem elas próprias, meterem o bedelho em TUDO.
Basta.
Falsidade é coisa feia, sim?
Menos, gente, menos...

13 de dezembro de 2011

Alívio

Portanto, as minhas contas todas de todos os sites que tinha na net foram hackeadas, incluindo esta.
Começou pelo facebook, youtube, baixaki, progressivamente até chegar a esta.
Embora não tenha feito muito neste blog ultimamente, nos últimos 2 anos, nele constam momentos reais como imaginários, mas que, no fundo, relatam um momento importante da minha vida, nem que seja apenas um momento de inspiração.
Quando soube que tudo isto estava em risco, não soube muito bem como reagir, como seria de esperar. A bem dizer, 2 anos da minha vida teriam sido apagados.
Felizmente, conseguiram trazê-la de volta para mim e eu percebi que não é preciso ter uma grande história para contar para fazer disto especial...
É a minha vida e basta.

Obrigado.

7 de dezembro de 2011

Problemas no raio do face!

Estou a meros segundos de estourar com o monitor!
O Facebook lembrou-se de estar de mal comigo e de 1 em 1 minuto me terminar sessão sozinho sem ninguém lhe pedir nada.
E pior!
Parece que há "eventos-vírus" agora... E parece que eu entrei nalguns. POR AMOR DA SANTA! Acabei de criar um Face novo e já tenho problemas com este... Mas alguém merece?
PORQUÊ EU?
É que nem avisar as pessoas consigo por não ter tempo de escrever...
Tecnologias, tecnologias... POUPEM-ME.

6 de dezembro de 2011

Uns nascem com beleza, outros com formosura, inteligência, jeito para desenhar, pintar, cantar, lutar, cozinhar, escrever...Uns nascem com dinheiro, sorte, famílias grandes, traços interessantes, mistério, entre outros.


Eu nasci com felicidade.

2 de dezembro de 2011

I feel.

Apetece-me esticar o cabelo, pôr rímel, pintar os olhos, os lábios, pôr perfume, pintar as unhas, comprar roupa nova, calçar os sapatos mais altos que tiver, sentir-me linda, sentir-me mulher.
Apetece-me pegar numa guitarra, desfazê-la contra a parede, pegar em toda a loiça da minha mãe, partir tudo, rasgar roupa, queimar fotos, esquecer memórias, gritar, exorcizar o sofrimento, sentir-me rebelde, sentir-me viva.
Apetece-me voar, sentar-me numa nuvem e sonhar, viver no conto de fadas que eu própria criei, o meu mundo, as minhas regras, sentir-me útil, sentir-me alguém.
Quero amor. Amar e sentir-me amada. Ter alguém para cuidar, abraçar, beijar. Alguém que me dê a mão com força, que me pegue ao colo, que me diga o quanto me adora, que me espere a toda a hora. Apetece-me sentir a paixão.
O som de um riso, o sabor de um doce, o cheiro da madrugada, o pôr-do-sol, a chuva, o vento, as lágrimas...
Apetece-me sentir.

Face ou não face? Eis a questão.

Portanto, o meu não funciona... E agora?
Desespero? Faço um novo?
 Não me cheira.

"I'm braking the habit."