13 de agosto de 2014

Um Até Já

Venho informar que a partir de hoje não voltarei a publicar neste Blog.
Cresci e tenho noção disso há algum tempo e não me sentiria "normal" a publicar futuras experiências num blog onde o tema deveria ser a adolescência.
Então eu decidi seguir em frente e começar do zero: sou agora uma Menina Crescida, e é lá que me podem continuar a seguir.

Espero poder contar convosco.
Vamos ver como corre esta nova etapa.

Até Já.




-Raquel Santos

8 de agosto de 2014

Que é feito de mim?

Já não me lembro da última vez que cá vim.
Sei que agora à vista da sociedade já não sou uma adolescente. 18 aninhos feitos e agora, rumo à Universidade.
Sempre tive a ideia de que um dia gostaria de poder "pagar" pelo menos uma parte daquilo que os meus pais fizeram por mim até agora. Sempre senti que um dia chegaria o tempo em que os recompensaria por tudo aquilo que me deram e continuam a dar.
E por isso que, neste momento, todos os dias procuro um trabalhito, um biscate, qualquer coisa que me permita arrecadar algum dinheiro. Os meus pais querem pagar-me os custos da Universidade e não queriam muito que eu trabalhasse e estudasse ao mesmo tempo e assim, com um part-time, ao menos conseguiria tirar-lhes algumas despesas de cima dos ombros. Já não teriam de se preocupar em comprar-me roupa, por exemplo. Era mais um "alívio" para eles e uma forma de independência e responsabilidade para mim.
Enquanto não aparece nada, decidi tornar-me Revendedora Avon. Inscrevi-me, encontrei-me com a Manager da minha zona e comecei. Primeiro a falar com a família mais próxima, depois com amigos da família... Isto vai andando devagarinho, mas a verdade é que em 2 dias consegui 80 euros de encomendas. Também sei que a maioria delas é apenas um "incentivo" para quem está a começar, mas a verdade é que está a resultar. Já dei por mim a fazer listas de pessoas a quem poderei mostrar os produtos que há a vender, já contactei algumas. Sinto que isto está a fazer com que eu me mexa e essa sensação é muito boa. Estou a crescer e gosto imenso disso.



Já agora que estamos a falar disso, e negócio é negócio, vou partilhar o meu Link de Revendedora onde quem estiver interessado pode consultar os produtos da Campanha que está a decorrer e as melhores promoções. É uma forma de ajuda mútua.
Um emprego para mim, os melhores preços para vocês.


2 de maio de 2014

Teste.

No teste de Português de hoje, o tema da composição era: "Qual a importância da literacia para o ser humano?".
Após basear-me nos Lusíadas e em Felizmente há Luar! saiu isto:


"Hoje em dia, com o desenvolvimento dos países, da tecnologia, entre outros, o acesso ao ensino é algo de que a maior parte da população pode usufruir. Contudo, ainda se verifica que alguns não têm essa oportunidade, o que resulta na existência de um número significativo de pessoas que não sabem ler nem escrever.
A literacia é de extrema importância para o ser humano, na medida em que permite que ele se desenvolva intelectualmente e tenha uma melhor capacidade de adaptação; por exemplo, o Homem ao saber ler e escrever, tendo em conta que, nos tempos que correm, temos acesso a todo o tipo de informação, tem a capacidade de criticar, fazer observações e escolhas e procurar formas de melhorar as suas condições de vida, ou seja, como não vive na ignorância, não tem de se sujeitar às vontades de outrem sem, no mínimo, as questionar.
Por outro lado, a literacia é um grande passo no enriquecimento da cultura num país. Numa sociedade em que não se saiba ler, não é possível dar-se valor a escritores e às suas obras, pois, por muito interessantes ou importantes que elas sejam, não servirão de muito. Consequentemente, a sociedade não seria tão sensível, perdendo a capacidade de apreciar arte.
A literacia é um 'bem' indispensável, pois permite que as pessoas cresçam em termos de mentalidade, contribuindo, assim, para a evolução e desenvolvimento do mundo."

1 de maio de 2014

Keri Smith

Encontrei algo que me motivou imenso para escrever!

Keri Smith, é uma autora canadiana cujos livros são MUITO criativos. Alguns deles são: Wreck This Journal; The Pocket Scavenger e Finish This Book. A ideia, por exemplo, do primeiro é "obedecer" àquilo que nos é dito no início de cada página:




Eu decidi fazer a minha própria versão do livro. Como vivemos em crise, infelizmente, não os pude comprar (ainda), por isso dediquei-me a encontrar os títulos que apareciam em todas as páginas, copiei-os e agora, para além de simplesmente pôr em prática o que me é dito, dou asas à imaginação e escrevo algo, influenciada pelo desafio.
Já comecei e até agora a experiência tem sido muito boa. Estou mesmo a pensar em "transportá-la" para aqui.


Pensava que tinha perdido a minha capacidade de escrever.
Agora penso que não e não podia estar mais feliz.


Para mais info sobre Keri e os seus livros.





22 de março de 2014

Irrelevante

Para aquelas pessoas que dizem já não querer saber mais de um assunto, que não vão dar mais valor e que vão seguir em frente, mas que fazem questão de publicar no facebook 50 estados onde o mencionam...
Parabéns.
Estão a conseguir.


-facepalm-



5 de março de 2014

Romance, parte II

Ela olha para o relógio.
'Está quase, só mais um bocadinho...' - pensa.
Então ela procura algo para se ocupar. Ela canta, dança, arruma, limpa, penteia o cabelo uma e outra vez, vê a sua imagem no espelho, procura as imperfeições e exorciza-as para bem longe. Sempre com um sorriso na cara. Sempre.
É difícil conter a felicidade quando esta existe em demasia para uma pessoa só acarretar. Aí ela suspira.
Senta-se e suspira, continuando a sorrir. Pensa nos momentos que passaram juntos. Nas conversas, nas saídas, nos risos, nas confissões...
Já passou uma hora.
E mais meia.

Então ela cansa-se, levanta-se e quando se preparava para voltar à terra, ele chega.

- Olá minha princesa!

O sorriso voltou, as borboletas voaram desnorteadas e assim regressou ao seu mundinho de felicidade.



"Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu 

começarei a ser feliz."

22 de fevereiro de 2014

Update.

Um aparte só.
Existem momentos na vida, pelo menos na minha, em que algo é tão importante que passa, praticamente, a fazer parte de tudo aquilo que faço. Nomeadamente escrever (de vez em quando, só, que isto anda fraquinho). Não me podem censurar. Sinceramente, como é que é possível ignorar aquilo que mais nos faz feliz? Não dá.




Não sei como é possível entrares por aquela porta e, mesmo que esteja de rastos, triste, zangada e, por vezes, com tudo ao mesmo tempo, me fazeres sorrir com aquela vontade que vem do fundo do coração e que faz com que as borboletas andem doidas cá dentro, todas umas contra as outras... Nunca pensei que fosse possível confiar cegamente numa pessoa, principalmente devido a tudo que se passou comigo e continua a passar, mas mais uma vez, viste tu e provaste-me que estava errada. Felizmente.

 
 
Passou pouco tempo, mas nesse pouco tempo fizeste por mim e para mim o que outros em muito tempo tentaram (ou não) e não conseguiram. Fizeste-me feliz. Fazes-me feliz.
Quanto a mim... Vou continuar a amar-te da lua até aqui, porque daqui até à lua és tu que me amas a mim.

3 de fevereiro de 2014

*-*

Um homem sábio uma vez disse-me:

"Não estou aqui para te borratar o rímel. Estou aqui para te borratar o batom."





Esse homem é o meu.
Amo-te.